.post a img, .post img { width: 750px; height: auto; padding: 0; margin: 0px -40px 0px -40px; border: none; } -->

02 agosto 2020

'Black Is King' é um incômodo para brancos


Amo todo e qualquer lançamento que fique perceptível o esforço de Beyoncé mostrar que não veio para agradar uma indústria, branca e totalmente segregacionista, como os seus consumidores: brancos, racistas e que fazem questão de deixar evidente o quanto querem as coisas ao seu agrado. Assistir 'Black Is King' é receber uma explosão de detalhes, conceitos e riquezas que toda estrutura faz questão de mascarar através de miséria e pobreza, quando o continente Africano é muito mais do que isso. Inconformados com o afronte de Beyoncé, ao trazer conceitos panafricanistas e alertar todo povo negro que pôde impactar sobre voltar às suas raízes, conhecer ancestralidade e aprofundar na sua própria história além do que o ocidente faz-nos enxergar sobre quem somos, sobre a nossa história e tudo que nos cerca.

Para entender Black Is King é necessário buscar pela negritude sem nenhum impacto ou conceito que esteja ao alcance dos brancos e entender a nossa grandeza enquanto povo. É pôr uma coroa na sua cabeça e perceber o quanto temos uma riqueza história para conhecer, não aceitar os caminhos construídos e delimitados pela branquitude e unir-se aos seus semelhantes - isso é: zerar das nossas vidas conceitos brancos que vem da esquerda e direita brasileira, diluir os conceitos de comunismo, marxismo e capitalismo, entender toda estrutura que trabalha para manter um genocídio e perceber que estamos muito além de tudo isso. Muitos negros brasileiros usam a esquerda como parâmetro de luta racial, quando na verdade ela é somente uma rua sem saída onde parecemos estar progredindo olhando para cima, dando pulinhos sem sair do lugar e fazendo poesias de palavras que não fazem o mínimo sentido se não estiver sob efeito de entorpecentes que os fazem transceder.

Beyoncé consegue passar toda glória e beleza do povo negro através da arte, nosso corpo é arte, nossa cultura ultrapassa todos os parâmetros e conhecimentos sobre arte natural que o eurocentrismo conseguiu captar e passar através de seus estudos defasados, conhecimentos limitados e práticas abaixo de zero, produzindo obras e conceitos abstratos do natural. Quando sempre estivemos em sintonia com a natureza, com a beleza e a arte.

Nós já eramos belos antes deles saberem o que é beleza. - Beyoncé


Com frases impactantes, narrativas bem conceituadas e uma bela junção da nossa história, contando à partir das suas descobertas e revivendo os conceitos africanos de que a natureza é bela assim como tudo que vem do natural (isso não inclui brancos, fodac).

Receber no feed uma publicação vinda de um jornal elitista e dominado por brancos, rejeitando a obra, é uma bela confirmação de que brancos não estão preparados e nem deseja a emancipação do povo negro que caminha de encontro aos seus ancestrais. Mesmo que a autora tenha escrito livro sobre a escravidão brasileira e entenda sobre racismo estrutural, só mostra o quanto brancos de direita e de esquerda estão mais interessados em manter a visão de desgraça sobre o povo africano, em diáspora ou não. Pesando mais ainda sobre a mãe-terra Afrika. Nos querem subjugados ao eurocentrismo e a branquitude, de todas as formas.

Beyoncé não glamourizou a negritude, apenas mostrou o quanto somos belos e com uma rica cultura. Mas eles não estão prontos para entender isso, não querem e nem desejam que saibamos o óbvio: não precisamos integrar brancos à nossa luta. Ao contrário dos antepassados de quem escreveu tal matéria, um povo sem cultura e beleza, que carrega desgraças por onde passa.

Espero que sigamos com o recado dado. Existe muito mais pretos além de Beyoncé falando sobre negritude, resgatando a identidade afrikana e os valores dos nossos ancestrais. Preto é rei, somos sinônimos de glória e estaremos sempre em ligação com os nossos antepassados - e nunca os esqueça, agradeça sempre pela jornada que trilha. Lembre-se de estar ao lado dos seus semelhantes. E cada vez mais importante e necessário que estejamos unidos para acabar com todos os conceitos ocidentais que nos foi imposto em diáspora.

O álbum só conta o que já sabemos: um dia retornaremos às nossas raízes.

05 julho 2020

A vida sempre nos leva para novos caminhos

Estava pensando em quanto tempo fiquei sem abrir o painel do Blogger, a quanto tempo não digito voltado ao público que um dia me acompanhou - mesmo ainda sendo contabilizado alguns acessos, acho que a maioria nem sabe mais da existência desse link. E é normal, não sou mais o blogueiro de antes que publicava fielmente quase todos os dias, passava horas em cima do computador buscando por inspiração, buscando referências para passar mais e mais conteúdos, dicas e estratégias. A vida sempre segue novos caminhos, busca novas rotas e nos surpreende com uma nova realidade.

Quando comecei a escrever sobre empreendedorismo e estratégias aqui no blog, foi com a intenção de tornar o blog uma empresa, como centenas de produtores de conteúdo fizeram. Enxerguei a possibilidade de fazer isso, identifiquei uma capacidade e fui atrás para que tudo desse certo da maneira que planejei. Bom, aí descobri que as coisas dão errado para outras darem certo.

O blog ficou abandonado, mas a minha empresa nunca esteve tão ativa. Mesmo o amando muito, agradecido pelo desenvolvimento e conhecimento ganho, jamais posso me permitir apagar esses ótimos momentos da minha vida, além dos números alcançados que fazem efeito na minha vida até hoje. Continuo sendo o Deivy, continuo tendo as redes sociais com @blogdodeivy e isso jamais irá deixar de existir pois sou eu, se trata de mim. O blog é a minha digitalização, a agência sou eu profissionalizado, e eu consigo ser a personificação de ambos pois estão unidos mesmo que distantes.

Em algum momento irá refletir sobre onde esteve no seu passado, o que desejava para o seu futuro como profissional e perceber que pode estar num caminho completamente diferente, numa área jamais buscada. Mas é justamente sobre isso, a vida nos leva para novos caminhos cada vez mais sem ao menos percebermos. O que nos resta é aceitar essa passagem. Quando estou escrevendo essa postagem, num domingo, estou também preparando a primeira aula do treinamento Líder do Futuro, uma consultoria grupal com 16 outros empreendedores. (eu nunca pensei que teria dezesseis empreendedores prontos para me ouvir). Além de 4 outros empreendedores que atendo de forma individual. (eu também nunca pensei que haveria pessoas pagando um valor elevado para terem suas empresas tratadas por mim).

São novos tempos, novos ventos. Caminhos que se cruzam e muitas vezes nos faz refletir sobre o que realmente queremos das nossas vidas. Eu já chorei muito escrevendo desabafos para milhares dos usuários que acessaram aqui, usei como um diário de desenvolvimento profissional e pessoal. Vocês acompanharam uma criança sonhadora para os seus sonhos de crescer. Em outubro, essa criança irá completar seus 18 anos e com uma empresa, uma reputação e uma imagem na internet. E isso é inacreditável de se viver.

Eu só tenho a agradecer!